OS TALENTOS LONGE DOS HOLOFOTES

Por Bolivar Silveira

Estamos chegando ao fim de mais uma temporada no Brasil. Neste reta final do Campeonato Brasileiro (Série A e B), vamos destacar os outsiders – jogadores sem tantos holofotes – que brilharam em solo tupiniquim em 2018. Os onze jogadores citados estiveram muito bem em equipes que correram por fora nas competições nacionais. Será que o dirigente do seu time já está pensando nas contratações para 2019? Vamos a lista!


João Ricardo – América MG

Não é de hoje que o goleiro do Coelho se destaca. João Ricardo já dividia o protagonismo com Richarlison na campanha da Série B 2015 do América/MG. Goleiro de ótimo reflexo e saída do gol, tem sido muito importante na atual campanha. Com 30 anos, poderia ser titular ou até mesmo um substituto de alto nível para grandes clubes.

JOÃO RICARDO

Fernando Sobral – Sampaio Corrêa

O grande destaque do Copa Nordeste 2018 e da instável campanha do Sampaio Corrêa na Série B, Sobral surpreende pelo refinamento técnico e pela bomba que possui na perna direita. Atualmente, atua como volante no 4-2-3-1, podendo jogar, também, como um interior num 4-3-3. Fernando Sobral gosta muito de desgarrar da zona defensiva e aparecer de surpresa dentro da área. Agrega muito também na fase ofensiva, principalmente se a equipe atuar com transições rápidas. Tem 23 anos e muito futuro no cenário nacional.

sobral-800x466

Messias – América MG

A grande revelação defensiva desse Brasileirão. Com muita força física e vigor, Messias impressiona na zaga do América/MG. Possui apenas 23 anos (1994), mas é muito maduro e uma das lideranças da equipe. Com seus 1,90m de altura e 87 quilos, o embate corporal é uma de suas virtudes, entretanto isto gera problemas de agilidade e movimentação em certos momentos. Por isso, Messias encaixa melhor em um time mais reativo e com a linha baixa, para não ter que cobrir longos espaços.

MESSIAS

Michael – Goiás

Se os Esmeraldinos não sentiram a saída do xodó Carlos Eduardo, foi graças ao garoto Michael de 22 anos (1996). É um jogador com praticamente as mesmas características: muito drible e velocidade. É comum ver o garoto entortando colunas pelos campos da Série B. Ainda falta maturação física e nas tomadas de decisões, mas é o modelo de jogador que os clubes vendem por alta quantia para o exterior.

MICHAEL

Neílton – Vitória

O atacante da base do Santos é mais um daqueles atletas que surgem cedo e acabam ganhando fama por más campanhas e um certo folclore, mas não podemos cair nessa falácia. Neílton é, sim, um jogador diferente, que chama o jogo e tem uma ótima troca de direção em velocidade, dificultando demais sua marcação. Alem de sempre marcar muitos gols. Em 2018 já leva 18 gols.

NEILTON

Léo Pelé – Bahia

Lateral esquerdo no melhor estilo brasileiro. Muito bom nos avanços ofensivos e nos dribles, Léo Pelé tem se destacado bastante pelo Bahia, após de um começo complicado no Fluminense. Léo também tem muito sucesso nos duelos pelo alto por ter uma altura a cima da média para os laterais, 1,83m. Vale a pena ficar de olho.

IMAGEM_BAHIA_original

Guga – Avaí

Um lateral/ala pela direita que adora atacar. Peça fundamental no esquema com três zagueiros e alas do treinador Geninho. O garoto apoia muito e é um dos grandes criadores do Avaí, seu cruzamento também é uma boa característica. Já foi sondado por Flamengo, Sevilla e Roma.

guga lateral avai

Gregore – Bahia

Um trator no meio campo da Fonte Nova, muita força física e intensidade. Apesar do fraco segundo turno dos tricolores no campeonato brasileiro, Gregore vem se destacando individualmente. Suas principais habilidades são o desarme, interceptação e poder de reação. É um destruidor, não a peça para construir.

GREGORE

Pablo  Atlético PR

Há algumas temporadas Pablo se destaca com a camisa do Furacão e é titular no quadro paranaense. Em 2018, com uma maior quantidade de gols, ganhou maior destaque nacional. Pablo tem muita qualidade e leitura de jogo, se movimenta bem entre as linhas de marcação. Pode atuar como um 9 de referência ou pelos lados de campo.

PABLO

Ramires – Bahia

O underdog da geração 2000 desembarcou com tudo no segundo turno do Campeonato Brasileiro. Com passada larga, velocidade e muito refinamento técnico, Ramires tem incomodado demais os rivais puxando velozes contra-ataques. As comparações com Anderson Talisca são corriqueiras, em Salvador. Mesmo que seja outra posição, entende-se o entusiasmo com o ‘Esquadrão’ lançando outro bom jogador.

RAMIRES

André Luís – Ponte Preta

Um ponta direita que nasceu para puxar contra-ataques e cortar para dentro e chutar, nesse Campeonato Brasileiro da Série B, são 8 gols marcos. André Luis tem muita velocidade e força, talhado para equipes reativas. Tem apenas 21 anos e muito para evoluir profissionalmente.

Ponte-Preta-1024x682

Um comentário

  • Yuri 12 / 10 / 2018 Responder

    Incrível como, independente das evoluções e criações táticas, alguns conceitos vão e voltam. Geninho já usava o 352 lá no Atlético de 2001, deu aquela sumida do cenário nacional, voltou a se destacar em equipes de menor expressão, e vai fazendo uma campanha digna com o Avaí com o mesmo 352 de quase 20 anos atrás.

    Gostei da lista, não conhecia alguns nomes.

Deixe uma resposta