PRÉVIA TÁTICA – 9ª RODADA – CAMPEONATO BRASILEIRO

Por @RodrigoCout

O Campeonato Brasileiro vive suas últimas rodadas antes da pausa para a Copa do Mundo. Enquanto basicamente o mundo inteiro já tem seus olhos mirados para a maior competição do futebol internacional, nossos clubes passam por uma maratona de jogos no meio e no final de semana. Muitos deles chegam a fazer três partidas em sete dias, o que gera uma profunda queda no rendimento pelos aspectos físicos e psicológicos. Em meio a tudo isso, a 9ª rodada chega com clássicos estaduais e o duelo dos clubes mais populares do país em um Maracanã lotado. Confira abaixo a provável escalação de cada time, como se comportam taticamente, estatísticas que explicam o modelo de jogo, e o possível encaixe entre as estratégias.


Sábado – 02/06 – Atlético/MG x Chapecoense – Independência – 16h

Em um dos jogos que abrem a rodada, duelo de duas equipes que se conhecem muito bem. Atlético/MG e Chapecoense se enfrentaram recentemente pelas oitavas de final da Copa do Brasil e o time de Santa Catarina se classificou nos pênaltis. São propostas muito diferentes, e o fato de o jogo ser em Belo Horizonte acentuará ainda mais esse panorama. O Galo é o quarto time que mais troca passes no campeonato, média de 452 por jogo. A Chape é o segundo que menos troca entre os 20 clubes (315 por partida). O alvinegro vai tomar a iniciativa e propor. O Alviverde se fechará e buscará contra-atacar.

Thiago Larghi precisa recuperar o ânimo de seus jogadores. O Atlético vem de duas derrotas consecutivas e caiu na tabela. Por mais que o rendimento tenha sido bem acima do que os resultados supõem, é inegável a cobrança da torcida por uma campanha de disputa de título, principalmente após as eliminações na Copa do Brasil e na Copa Sul-Americana. O desafio é retomar a solidez, principalmente na parte defensiva, e transformar em vitória o bom desempenho ofensivo. O Galo é o time mais regular em rendimento até aqui na competição. Bremer e Gabriel, dupla de zaga titular, pode ser modificada. Leonardo Silva tem chances de retomar espaço. Na lateral-direita a dúvida fica entre Émerson e Patric. No meio, Adilson está suspenso pelo terceiro cartão amarelo e Elias vai ser o substituto, o que mostra que Larghi sabe que vai precisar de um time ainda mais ofensivo para bater a Chape. O alvinegro é uma equipe de troca rápida de passes, intensidade nas transições, movimentação constante e boa ocupação de espaços ofensivos. Tem cometido falhas individuais defensivamente.

Foto 02

A Chapecoense parece que vai encontrando o seu rumo no campeonato. Melhorou o desempenho nos últimos dois jogos e venceu o Ceará em Chapecó. Gilson Kleina tem evoluído no sentido de conseguir o equilíbrio. Mandar a campo uma equipe sólida defensivamente, mas que ao mesmo tempo produza algo no ataque. Para essa partida terá o retorno de Bruno Pacheco na lateral-esquerda, mas Amaral segue lesionado. A tendência é que monte um 4-1-4-1 com Luiz Antônio ao invés de Guilherme pela direita. Wellington Paulista pode recuperar lugar no time titular na vaga de Leandro Pereira. Precisa tomar cuidado para que a sua marcação por encaixes e perseguições não seja iludida pela movimentação do Galo.

Sábado – 02/06 – Internacional x Sport – Beira-Rio – 16h

Jogo interessante também ás 16h de sábado no Beira-Rio. Inter e Sport fazem um confronto entre times que são fortes nas transições e não elaboram tanto as jogadas de ataque. Pra começar estão entre as seis equipes mais intensas sem a bola. Possuem média de 2 desarmes, interceptações ou duelos defensivos por minuto de posse do adversário. No quesito acerto de passes estão na segunda página entre os 20 clubes. O Colorado é o 11º e o Sport o 16º. Na classificação do campeonato, porém, estão na 5ª e na 6ª colocações, a três pontos do líder. Promessa de jogo pegado em Porto Alegre!

No time da casa, Odair Hellmann terá os retornos de Leandro Damião e Iago, podendo escalar aquilo que na sua cabeça é o time ideal hoje. O Colorado assumiu de vez o estilo de jogo baseado em transições rápidas, marcação forte e muitos passes diretos quando tem a posse de bola. Tem jogadores que funcionam melhor assim, mas pode ter dificuldades contra um Sport que possui características muito parecidas na hora de se defender. Segue o sistema 4-1-4-1 com Lucca e Pottker nas pontas. Patrick  e Edenilson pela faixa central. Rodrigo Dourado completa o setor e vem sendo um dos destaques.

Foto 03

O Sport terá muitos desfalques por força contratual. Cinco atletas de seu plantel pertencem ao Internacional, três deles (Anselmo, Claudio Winck e Ernando) são titulares. Claudinei deve voltar a montar o time no 4-1-4-1 atuando fora de casa. Em Pernambuco costuma colocar em campo uma formação mais ofensiva, mas a tendência é pela entrada de Deivid e Neto Moura ao lado de Fellipe Bastos na faixa central. Rogério seria o escolhido para voltar ao banco de reservas. Durval e Raul Prata serão titulares no sistema defensivo, e Rafael Marques será mantido como centroavante. Fora de casa, o Sport é uma equipe muito intensa sem a bola, forte fisicamente no meio e que explora bastante o lado esquerdo em contra-golpes. Perde bastante sem Anselmo neste tipo de jogo.

Sábado – 02/06 – Vasco x Botafogo – São Januário – 19h

Clássico carioca na noite de sábado em São Januário. E os dois finalistas do Campeonato Estadual do Rio de Janeiro buscam engrenar, convencer no Brasileirão. O desempenho de ambos não tem sido bom. E um bom indicativo disso é o número de cruzamentos que fazem por partida. O Vasco é o terceiro que mais usa esse tipo de jogada, o Botafogo o quarto. O Cruzmaltino, porém, acerta muito mais do que o Glorioso. É o sexto no ranking com 33%. O rival é o último no fundamento: acerta só 20% dos cruzamentos. Yago Pikachu é o único das duas equipes que aparece entre os 30 melhores neste tipo de jogada na Série A, é o 27º com 40,9% de acerto.

O Vasco venceu o Paraná na última rodada, aliviou um pouco a pressão, mas novamente viu a parte psicológica influenciar diretamente no seu resultado. O time segue com muitos desfalques, mas já reintegrou os atletas que haviam sido afastados por indisciplina: Gabriel Félix, Paulão, Evander e Wellington. Nenhum deles, porém, deve ser titular. Depois de precisar fazer mexidas táticas para a equipe jogar, a tendência é que Zé Ricardo retome a variação entre o 4-2-3-1 e o 4-1-4-1 que costuma implementar. Erazo deve formar a zaga com Ricardo e Ramon pode voltar a ser titular na lateral-esquerda. No meio, Desábato e Wagner retornam. Andrey pode ficar entre os titulares. O desafio é se apresentar de forma um pouco menos afoita. O Vasco é um time que sempre demonstra poder ofensivo, mas muitas vezes se desorganiza pela parte anímica. Defensivamente segue oscilando demais.

Foto 04

Já no Glorioso, a meta é vencer em primeiro lugar, já que a zona de rebaixamento está próxima. Mas recuperar o desempenho é algo primordial para pensar em um Brasileirão mais eficiente. A equipe não consegue ter equilíbrio. Ou não tem efetividade no ataque, ou é desorganizada e pouco intensa defensivamente. Alberto Valentim, depois de um ótimo início, perdeu um pouco o rumo do time após muitas lesões e testou diversas formações diferentes. Uma vitória no clássico pode ajudar a recolocar a coisa nos trilhos. O time que vai entrar em campo é um incógnita. Renatinho está de volta, João Pedro fora. Pimpão ou Aguirre podem pintar como titular, ou até mesmo Marcos Vinicius. Luiz Fernando tem sua vaga ameaçada no time. Matheus Fernandes está suspenso e não joga. Bochecha pode iniciar.

Sábado – 02/06 – Palmeiras x São Paulo – Allianz Parque – 21h

Duelo de equipes em momentos muito diferentes na temporada. A dinâmica envolvendo Palmeiras e São Paulo mostra o quanto o futebol é volúvel. No último encontro entre ambos, o Porco atropelou um Tricolor ainda dirigido por Dorival Junior e em grave crise. Agora, se a situação não é exatamente oposta, está perto de ser. Não que o Palmeiras faça uma temporada horrível. Longe disso! Mas uma derrota no Choque-Rei diante de sua torcida, pode resultar numa absurda demissão de Roger Machado. Bem distinto também, é o modelo de jogo dos rivais. Por mais que o Verdão seja um time que se adapta às partidas, propõe muito mais o jogo. É o sexto em posse de bola no campeonato. Já a equipe do Morumbi é a terceira que menos tem a bola entre todas as 20.

Muito pressionado, Roger tem o desafio de fazer as oscilações de sua equipe diminuírem. O cenário é responsável direto pela campanha que dá o modesto 10º lugar até o momento, apesar do ótimo papel na Libertadores e de ter jogado um bom futebol em diversas partidas desta temporada. Furar o agora sólido sistema defensivo do São Paulo será um desafio. É preciso retomar a intensidade na movimentação e a boa ocupação de espaços já presente em outros jogos. Marcos Rocha está suspenso pelo terceiro amarelo e não joga. Mayke entra em seu lugar. Diogo Barbosa deve retornar na lateral-esquerda. Felipe Melo também volta e é provável que Lucas Lima perca espaço para Moisés ou Hyoran no time titular. Willian deve continuar na referência ofensiva.

Foto 05

No São Paulo o momento é de tranquilidade e crescimento. O time evolui a cada jogo e tem um dos melhores desempenhos do Brasileirão até aqui. É uma equipe forter defensivamente, dificilmente se desorganiza atrás e muito perigosa nas transições ofensivas, principalmente com Everton pela esquerda. Nenê e Diego Souza vivem ótima fase. Diego Aguirre poupou Reinaldo no jogo contra o Botafogo e deve tê-lo de volta neste sábado. Militão e Hudson também retornam. O sistema deve ser o 4-2-3-1. A incógnita é o lado direito da linha de meias. Régis pode pintar por ali.

Domingo – 03/06 – Flamengo x Corinthians – Maracanã – 16h

Choque entre os clubes de maior torcida do país. Um lidera o campeonato e joga em casa para quase 60 mil pessoas. O outro é o terceiro colocado, não vem jogando tão bem, mas possui um modelo de jogo há muito mais tempo para se apoiar e costuma crescer em situações adversas. Promessa de jogão no Rio de Janeiro entre Flamengo e Corinthians. Disputa direta na parte de cima da tabela! São duas equipes com ótimo aproveitamento de finalizações. O Timão é o quinto melhor da Série A (37,8% de efetividade) e o Mengão é o terceiro (41,4%). Rodriguinho e Everton Ribeiro aparecem entre os dez melhores finalizadores da Série A.

O Flamengo vem crescendo na parte ofensiva, principalmente nos jogos dentro de casa. Ocupa muito bem o campo de ataque e trabalha a bola com paciência para furar os bloqueios adversários. Muitas vezes se ressente de mais velocidade na troca de passes, mas sempre cria oportunidades. Tem problemas na transição defensiva, mas possui uma linha de defesa muito organizada e Diego Alves num grande momento na meta. A principal dúvida na escalação é o zagueiro Léo Duarte com entorse no tornozelo. Rever e Juan seguem fora. Cuellar está na seleção colombiana. Jonas será o substituto mais uma vez. Se Léo Duarte não jogar, o jovem Thuler ganha nova oportunidade ao lado de Rhodolfo.

Foto 06

O Corinthians venceu o América/MG na última rodada e se recolocou em condições de assumir a ponta da tabela caso vença, mas o rendimento não foi dos melhores. O alvinegro, dentro de casa, controla o jogo através da posse, trabalha bem a bola, mas penetra e finaliza pouco. Fora de casa, adota uma postura mais reativa, mas tem oscilado na organização defensiva que já foi perfeita há pouco tempo atrás e acaba perdendo o controle das partidas. Osmar Loss também tem desfalques. Cássio e Fágner estão com Seleção. Romero e Ralf lesionados. A tendência é a manutenção do ”4-2-4” e a permanência de Mateus Vital no time.

Domingo – 03/06 – Bahia x Grêmio – Fonte Nova – 16h

Na tarde de domingo, em Salvador, Bahia e Grêmio têm tudo para fazerem um jogo bem movimentado. Estão entre as seis equipes que mais finalizam na competição. O Tricolor do Nordeste é o quinto com 11.8 arremates a cada 90 minutos e os gaúchos vem logo atrás com 11.7. Everton, do Grêmio, é o quinto que mais finaliza entre todos os atletas da competição. Luan é o oitavo. Pelo lado baiano, Zé Rafael aparece como principal finalizador do time, está em 16º no geral.

Mansinho fora de casa, feroz dentro da Fonte Nova! Esta é a tônica do Bahia neste Brasileirão. A irregularidade tem deixado pontos importantes pelo caminho e o time está na zona de rebaixamento. Deve tomar a iniciativa de atacar, como sempre faz sob seus domínios. Cria um bom volume de oportunidades através das jogadas pelos lados do campo, mas peca nas finalizações e muitas vezes se expõe, o que contra o Grêmio pode ser fatal. Gregore e Élber estão suspensos pelo terceiro cartão amarelo. Edigar Junio e Marco Antônio seguem fora, o que pode fazer com que Guto Ferreira escale Allione pelo lado direito. Régis e Junior Brumado disputam uma vaga. Se o primeiro for escolhido, Vinicius jogaria mais adiantado. Já como volante, Flávio começará jogando. Douglas e Léo Pelé retornam.

Foto 07

O Grêmio segue envolvido na polêmica das declarações de Renato Gaucho. O comandante critica bastante as equipes que se fecham para enfrentar o Tricolor, mas ao mesmo tempo não vê o seu time concluir bem as oportunidades que tem criado, além do Grêmio perder profundidade e poder de infiltração em muitas ocasiões. Talvez tenha mais espaço contra o Bahia e a imensa qualidade ofensiva do Imortal pode ser mais letal. Defensivamente tem pouquíssimos problemas. Arthur segue fora e Cícero deve permanecer no meio. Ramiro volta após ser poupado. Bressan segue na zaga com a ausência de Pedro Geromel, servindo a Seleção.

Domingo – 03/06 – Santos x Vitória – Vila Belmiro – 16h

Crise e questionamentos! Santos e Vitória estão desesperados por uma vitória no Campeonato Brasileiro. O Peixe amarga a zona de rebaixamento e o Leão é o primeiro time fora dela. O rendimento de ambos vem sendo péssimo! São vários pontos que podem explicar o campeonato ruim de Santos e Vitória até o momento, mas um deles é a efetividade nas finalizações. As equipes estão entre as cinco piores do campeonato em acerto nos arremates. Não chegam a 30% de eficiência. Nenhum atletas dos dois clubes aparece entre os 30 melhores finalizadores da Série A.

Pichações nos muros da Vila Belmiro e pressão em cima do técnico Jair Ventura e dos jogadores. É desta forma que o Santos chega para o confronto. O mais preocupante é que, pela postura que o Vitória costuma apresentar fora de casa, terá que propor o jogo, exatamente onde o Peixe tem grandes dificuldades. Falta ideia coletiva quando o time está em fase ofensiva. Muitas vezes não há profundidade, jogo entrelinhas e equilíbrio na disposição das peças no campo de ataque. Defensivamente não compromete, mas os problemas ofensivos têm tirado a confiança da equipe. É provável que Jair Ventura escale a equipe numa espécie de 4-2-4, com a volta de Bruno Henrique ao time titular. Rodrygo e Gabriel jogariam pela faixa central. E o atacante ex-Wolfsburg pelos lados com Sasha.

Foto 08

No lado do Vitória, segue a irregularidade de uma equipe que oscila em todas as fases do jogo. Menos mal que nesta partida poderá se comportar da forma que mais se sente confortável: reagindo e apostando em contra-ataques. Mas não poderá cometer as falhas defensivas que vem acontecendo. Rhayner segue fora, assim como Fillipe Soutto e Willian Farias. Lucas Fernandes deve permanecer na equipe. Rodrigo Andrade e José Welison, como volantes, também. O lateral Jefferson está suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Pedro Botelho pode substitui-lo na esquerda.

Domingo – 03/06 – América/MG x Atlético/PR – Independência – 16h

Deveremos ter um jogo bem interessante entre América e Atlético/PR na tarde de domingo, no Independência. O Coelho dentro de casa sempre demonstra um ímpeto muito grande com a bola, toma a iniciativa, mas resolve rápido suas jogadas, e até por isso é o time que menos fica com a posse na Série A. O Furacão gosta da bola, é o time que mais fica com ela, mas tem um estilo mais cadenciado. Quem será o dono das ações em Belo Horizonte? Apesar das posses bem distintas, é o América que entra mais na área. Tem 13 toques em média por jogo na região do campo, um a mais que o time paranaense.

Vindo de derrota para o Corinthians em São Paulo, o time mineiro sabe que faz um campeonato dentro do planejado. Foi derrotado por equipes mais qualificadas tecnicamente, mas em todos os jogos mostrou organização e competitividade. Se conseguir manter este rendimento, se manterá tranquilamente na Série A, que é o objetivo central. Dentro de casa, busca muito as associações pelos lados do campo para criar oportunidades. Luan foi expulso na Arena Corinthians e não joga. Marquinhos deve ser o titular no setor. Norberto e Leandro Donizete devem retornar ao time, mas Rafael Moura segue com dores e pode ser vetado. Judivan seria mantido na referência.

Foto 09

Já o Furacão chega um pouco mais leve após a vitória contra o Santos. O curioso é que foi o único jogo no Brasileirão que teve menos posse de bola que o adversário. Em contrapartida finalizou mais. Fernando Diniz afirmou que o estilo da equipe não mudou, que o fato se deu por uma circunstância do jogo. Neste domingo, o time deverá ser pressionado e resta saber como reagirá. Passou a defender melhor a sua área com a escalação de três zagueiros de origem na sua linha defensiva, mas segue uma equipe pouco intensa na abordagem de marcação. Com a bola evoluiu. Ainda com desfalques importantes, Diniz deve manter o time que bateu o Santos.

Domingo – 03/06 – Ceará x Cruzeiro – Castelão – 19h

No duelo entre Ceará e Cruzeiro, que acontece na noite de domingo no Castelão, uma estatística é sintomática para diagnosticar as campanhas bem diferentes feitas pelos dois times até aqui na competição: o número de toques na bola na área adversária. O Vozão é o lanterna, apenas 7.93 por jogo. A Raposa é a vice-líder 16 a cada 90 minutos, mais que o dobro do oponente. Arrascaeta, fora do jogo por estar com a seleção uruguaia, é o segundo que mais toca na área rival da Série A. Raniel e Thiago Neves estão entre os 30 primeiros da competição. Ninguém do Ceará aparece na lista.

Ainda buscando a primeira vitória na Série A, o Alvinegro de Porangabaçu entra no seu terceiro jogo sob o comando de Jorginho. Na última partida o treinador promoveu muitas mudanças em relação às anteriores, algumas em função de lesões, mas não funcionou. Ele não revelou qual equipe pretende escalar, mas pode contar com o retorno de Felipe Azevedo. O lateral-esquerdo Rafael Carioca foi dispensado pelo clube por deficiência técnica. Hyuri pode continuar como homem mais avançado e Ricardinho deve recuperar espaço no meio-campo.

Foto 10

Em franca ascensão de rendimento e de pontos na classificação, o Cruzeiro terá alguns desfalques para encarar o Ceará. Sassá e Robinho estão fora, assim como Henrique. Romero deve formar a dupla de volantes com Lucas Silva e Bruno Silva pode fazer o lado direito do meio-campo. Raniel seria o escolhido para jogar na referência. O time celeste vem sendo muito rápido e intenso, com e sem a bola. Provavelmente tomará as rédeas do jogo em Fortaleza pela maior qualidade técnica.

Segunda – 04/06 – Paraná x Fluminense – Durival de Brito – 20h

Encerrando a nona rodada do Brasileirão 2018, teremos em Curitiba um duelo entre equipes que ficam pouco com a posse de bola. O Paraná, sétimo que menos fica com a pelota, recebe o Fluminense, segundo que menos tem a posse na Série A. A diferença de campanhas e rendimentos está na execução deste modelo. Enquanto os cariocas são o quarto time que mais acerta passes para o terço final, os paranaenses estão em 19º neste ranking. Richard, pelo Flu, e Caio Henrique, pelo Gralha, aparecem entre os 30 atletas mais eficientes neste tipo de passe na competição.

Precisando da vitória, ao lado do Ceará é o único time que ainda não venceu no Brasileirão, o Paraná deve ter mudanças para encarar o Fluminense. O presidente do clube e Rogério Micale cobraram mais atitude da equipe em campo. Contra o Vasco, mais uma vez se defendeu bem, mas por preciosismo perdeu boas oportunidades em contra-ataques. Sem Jhonny Lucas e Néris suspensos, Micale deve montar a equipe novamente no 4-2-3-1, com Carlos Eduardo como ”falso 9”. Richard e Raphael Alemão devem ficar no banco. Thiago Rodrigues e Carlos permanecem na equipe. Na zaga, Jesiel pode voltar a ganhar oportunidade.

Foto 11

O Fluminense vai tentar imprimir o seu estilo de jogo direto e transições rápidas no Durival de Brito, mas tem um grande desfalque. O centroavante Pedro, que vinha sendo um dos melhores jogadores do campeonato, sofreu lesão muscular e está fora por tempo indeterminado. João Carlos irá substituí-lo. A boa notícia é o retorno de Marcos Jr e de Gum. Pablo Dyego também deve ficar a disposição. O Tricolor carioca vem demonstrando um sistema defensivo muito sólido.

Deixe uma resposta