PRÉVIA TÁTICA – 5ª RODADA – CAMPEONATO BRASILEIRO

Por @RodrigoCout

O Campeonato Brasileiro chega a sua 5ª rodada neste final de semana e o FOOTURE, como já virou rotina, traz pra você um resumo completo do que pode acontecer dentro de campo nos dez jogos deste final de semana. Confira abaixo como cada equipe deve atuar, as prováveis estratégias, estatísticas esclarecedoras sobre os times, e o encaixe tático de cada duelo.


Sábado – 12/05 – Grêmio x Internacional – Arena do Grêmio – 16h

A primeira rodada com clássicos estaduais do Brasileirão 2018 já traz um pulsante Grenal em sua abertura. Os momentos são muito distintos. O Grêmio tem o melhor time do Brasil neste momento, encanta e amadurece a cada semana, é o favorito! Do outro lado, o Internacional segue irregular. Busca ajustar-se taticamente, é competitivo para defender e em transições, mas está longe de se aproximar do nível do maior rival. Impossível vencer? Claro que não! Mas terá que buscar um desempenho visto poucas vezes em 2018. A partida terá uma cara bem clara: o Tricolor propondo e o Colorado reagindo. A qualidade gremista pra jogar assim salta aos olhos. É o segundo time que mais acerta passes no campeonato, o Inter apenas o 13º.

Renato Portaluppi tem duas baixas para montar o seu time ideal. Jael está lesionado e Ramiro suspenso. Alisson deve entrar pela direita da linha de meias e André será o centroavante. Vale observar se Alisson conseguirá repetir a função tática de Ramiro, que consiste em se somar à faixa central em diversas ocasiões. O restante do time é o mesmo que vem atuando e o esquema tático o 4-2-3-1, com muita posse e controle do jogo pelo meio, sempre aproximando muitos jogadores com incessante movimentação. Os titulares estão bem descansados. Não atuaram na vitória sobre o Goiás na última quarta-feira, pela Copa do Brasil. Arthur com 94,7% de acerto é o mais preciso gremista em passes.

FOTO 02

Odair Hellmann trabalhou com seu elenco durante toda a semana sob muita pressão da torcida e sabe que está ameaçado no cargo. Também terá dois desfalques. Edenílson segue lesionado e William Pottker, expulso contra o Flamengo, cumpre suspensão. Zeca deve estrear no meio-campo, como um dos meias interiores da linha do meio-campo. Desta forma, para não perder intensidade na marcação numa área onde o Grêmio controla o jogo, Patrick, assim como aconteceu contra o Flamengo, formaria o setor, com Rodrigo Dourado um pouco mais atrás. D´Alessandro mais uma vez pode jogar como um ”falso ponta” pela direita. Com a bola, flutua para a região central buscando a entrelinha do adversário. Sem ela fecha o lado direito do campo, onde o Grêmio é forte com Cortez. Lucca deverá iniciar como titular pela primeira vez na vaga de Pottker. O desfalque de Edenilson será muito sentido, pois é o terceiro melhor da equipe em vitórias nos duelos defensivos, o 24º de todo o Brasileirão. Atua numa região nevrálgica do jogo gremista.

Domingo – 13/05 – Cruzeiro x Sport – Mineirão – 11h

Jogo de duas equipes que vem se recuperando na temporada. O Sport ainda se acostuma com a metodologia de trabalho de Claudinei Oliveira, mas vem de duas atuações seguras com vitória, vai evoluindo. Já o Cruzeiro, dono da casa, começou a jogar finalmente o futebol que dele se esperava em jogos com grau de dificuldade superior. Promessa de fortes emoções. O time de Belo Horizonte é o que mais toca na bola dentro da área do adversário, 19.3 vezes por jogo. Já o Sport é o sexto, média de 14 vezes a cada 90 minutos. Tendência de um jogo de muitas transições.

Intensidade e velocidade nas ações! Assim vem sendo o Cruzeiro dos últimos jogos. Mano Menezes encontrou uma nova formação titular e não poupará, mesmo tendo a estreia na Copa do Brasil contra o Atlético/PR na próxima quarta-feira. Vem de semana cheia de treinamentos. Segue o 4-2-3-1, mas Arrascaeta ganhou espaço pela esquerda, Rafinha foi para a direita, Lucas Silva atua como volante e Sassá é o centroavante. Lucas Romero vem tendo sequência na lateral com a lesão de Edilson. É uma equipe que circula a bola mais rápido e se mexe bastante em campo ofensivo, troca muito de posição em sua linha de meias e produz vários movimentos de infiltração. Sem a bola vem jogando com muita intensidade, mas sem perder a organização posicional, do jeito que Mano gosta. De Arrascaeta é o líder do campeonato em toques na bola dentro da área adversária. É um dos grandes responsáveis pelo novo momento do time. Thiago Neves é o 27º no geral.

Foto 03

O Sport agiu rápido e de forma certeira após a saída de Nelsinho Baptista. Claudinei Oliveira já havia sido competitivo com o rebaixado Avaí no ano passado, produzindo um jogo reativo e uma equipe organizada, mas que sofria com limitações técnicas. Sabe-se que o atual elenco do Leão não é do nível dos principais da Série A. O Sport vem atuando no 4-1-4-1 e ganhou muita intensidade na marcação nos últimos jogos, além de organização defensiva. No ataque, não há muita elaboração de jogadas posicionais. É mais perigoso em transições, principalmente nos deslocamentos de Rogério, a ”referência móvel” do time pernambucano. A equipe tem três jogadores entre os dez melhores finalizadores do campeonato neste momento: o próprio Rogério, o lateral Sander e o meia-atacante Gabriel. Magrão volta ao gol e Claudio Winck é dúvida na direita. Se não jogar, entra Fabricio improvisado.

Domingo – 13/05 – Corinthians x Palmeiras – Arena Corinthians – 16h

Derby Paulista em Itaquera! Muita rivalidade e a disputa de pontos importantes na parte de cima da tabela, afinal é o confronto do vice-líder contra o 3º colocado. São times com modelos claros de jogo, mas que oscilaram nas últimas partidas. O ”Timão misto” foi mal contra o Ceará na última rodada, mas bem contra o Vitória pela Copa do Brasil quinta. O Palmeiras muito bem na Arena da Baixada na 4ª rodada, mas sofreu muitos riscos contra o América/MG pela Copa do Brasil. Difícil prever como a partida se desenvolverá. Em casa, o Corinthians sempre toma a iniciativa, mas do outro lado há um Porco bem ”adaptável”, que não se prende a uma só forma de jogar. São equipes que trabalham bem a bola antes de escolher a jogada final. Em quantidade de passes trocados, estão entre as seis mais bem ranqueadas do campeonato: Corinthians em 4º e Palmeiras em 6º.

Fábio Carille teve um dia a menos de recuperação para os seus comandados em relação ao rival, mas não deve poupar. Fágner e Clayson seguem fora e a possibilidade do esquema sem atacantes centrais de ofício deve permanecer. A dúvida é sobre o aproveitamento de Pedrinho pela direita. O garoto vem bem, mas o treinador já falou algumas vezes sobre a questão física. Deve disputar posição com Matheus Vital. Romero mudará de lado caso o ex-vascaíno seja o escolhido. Roger provavelmente começará no banco. Mantuan segue na direita. Dos que devem começar jogando, Gabriel e Sidcley são os que mais trocam passes no Corinthians.

FOTO 04

No Palmeiras, Roger deve bolar alguma estratégia para contrapor uma característica positiva do time corintiano, como costuma fazer nesta temporada. Contra o Furacão fez mexidas para intensificar a pressão na saída de bola, por exemplo. Não terá Felipe Melo, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Thiago Santos o substitui. Cai a qualidade no passe, mas o Verdão ganha em velocidade no combate aos rivais. O 4-2-3-1 deve ser mantido. Entre os que devem iniciar o jogo, Marcos Rocha é o que mais troca passes, 57 a cada 90 minutos.

Domingo – 13/05 – Atlético/PR x Atlético/MG – Arena da Baixada – 16h

A pressão pelos resultados é algo muito forte no futebol brasileiro e, mesmo quando eles não são tão ruins assim num médio prazo, há muita ”cornetagem” e precipitação. Os Atléticos se enfrentam em Curitiba neste domingo pensando neste lema. O Furacão não vence desde 15 de abril e, por mais que tenha tido algumas boas atuações neste período, viu as críticas aumentarem, principalmente após as duas primeiras derrotas do time titular em 2018. Apesar disso está classificado na Copa Sulamericana. O Galo, por uma opção da diretoria, entrou em campo com os reservas contra o San Lorenzo, pela mesma competição, e acabou eliminado. Pra completar, empatou o jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, dentro de casa, contra a Chapecoense. No Brasileirão o alvinegro está mais bem posicionado que o rubro-negro. Promessa de partida bem jogada. As equipes estão entre as melhores passadoras da competição. A paranaense é a líder e a mineira a quarta.

Fernando Diniz mostrou-se preocupado com a sequência de jogos que sua equipe vem enfrentando e garantiu que poupará alguns jogadores. Quarta-feira tem duelo contra o Cruzeiro pela Copa do Brasil. Não confirmou os nomes que ficarão de fora, mas é sabido que o Furacão vai buscar manter o seu estilo de posse de bola, construção através de aproximação e passes curtos desde a própria área. Precisa melhorar quando o adversário adianta a marcação, sofreu mais do que o normal com isso nos último jogos. A transição defensiva também requer cuidados maiores. Pavez é o melhor passador do Furacão e o quinto melhor do Campeonato Brasileiro. Thiago Heleno, Nikão e Jonathan também se destacam.

Foto 05

O Atlético/MG tem uma viagem para Chapecó neste meio de semana, mas não poupará jogadores, já que fez isso na última terça-feira. A equipe titular vem subindo de produção. Apresentando um rendimento bem satisfatório, principalmente com a bola. Troca passes com velocidade, tem um meio-campo bem dinâmico, que articula e chega pra finalizar e atacantes entrosados na movimentação ofensiva. Sem a bola ainda oscila um pouco. Destaque em bolas paradas, Otero teve queda física e técnica nos últimos jogos e provavelmente será sacado para o retorno de Cazares. O restante da equipe é o mesmo. Adilson é o melhor passador do time: acerta 92,9% dos passes.

Domingo – 13/05 – Bahia x São Paulo – Fonte Nova – 16h

Duas equipes embaladas por resultados e atuações em outras competições, mas que ainda necessitam engrenar no Campeonato Brasileiro. Bahia e São Paulo vivem esta realidade na temporada. O time nordestino sapecou um 3×0 massacrante contra o Vasco pelo jogo de ida das oitavas da Copa do Brasil. Teve a sua melhor atuação em 2018. Já os paulistas eliminaram o Rosario Central pela Copa Sulamericana em jogo sofrido, mas de muita luta com o Morumbi lotado. A tendência é por um jogo de muita marcação e intensidade. As equipes estão entre as três que mais apresentam desafios (desarmes, interceptações, vitória em duelos individuais) por minuto de posse do adversário.

Sem jogos no próximo meio de semana, Guto Ferreira quer manter a pegada de sua equipe e vai escalar força máxima para buscar a segunda vitória no Brasileirão. João Pedro fez grande partida quarta-feira e pode ter ganho a condição de titular na lateral-direita, mesmo se Nino Paraíba se recuperar da amigdalite. Marco Antônio e Tiago seguem fora da equipe. Com isso, Everson e Elber – que sentiu a coxa quarta-feira -, podem ser mantidos. Se o ex-ponta do Cruzeiro não puder jogar, Régis e Allione disputam a vaga pela direita do trio de meias. O Bahia é um time que em casa marca de forma adiantada com muita intensidade e, quando tem a bola, é extremamente agressivo pelos lados do campo. Busca sempre combinações neste setor para criar. O zagueiro Lucas Fonseca é o segundo que mais vence duelos defensivos em toda a Série A.

Foto 06

Seguindo o seu estilo de montar uma equipe para cada característica de jogo e adversário, Diego Aguirre muito provavelmente terá uma linha de cinco defensiva para preencher o seu último terço do campo e inibir movimentos de infiltração do time baiano. Éder Militão e Rodrigo Caio podem voltar, mas é provável que somente um deles comece jogando. Diego Souza e Anderson Martins lesionados estão fora. A postura do tricolor paulista deve ser mais reativa, buscando transições pelos lados do campo, principalmente com Everton e Reinaldo pela esquerda. Bruno Alves é o jogador do São Paulo com melhor desempenho em duelos defensivos, vence 46,1% deles, está em sétimo na Série A.

Domingo – 13/05 – Vasco x Vitória – São Januário – 16h

Baixo astral e crise nas duas equipes que se enfrentam na tarde de domingo na Colina Histórica! O Vasco foi atropelado pelo Bahia em mais uma demonstração de oscilação e fragilidade de seu sistema defensivo na última quarta-feira, pela Copa do Brasil. Por mais que tenha vencido o América/MG por 4×1 no último final de semana, a insatisfação da torcida é muito grande. Já o Vitória foi eliminado da Copa do Brasil pelo Corinthians e busca o seu primeiro triunfo no Brasileirão. Na última rodada perdeu dentro de casa para o Fluminense. São duas equipes que ficam bastante com a bola. O Vasco, líder em posse no Brasileiro, é mais ajustado ofensivamente e sabe o que fazer em ataques posicionais. Já o Vitória apresenta muitas ”posses estereis”, sem criar. É o quinto que mais fica com a bola em todo o campeonato. Apesar disso, deverá ter uma postura reativa.

Zé Ricardo deixou claro após o atropelo em Salvador que vai promover mudanças na equipe, mas não detalhou quais. O Vasco apresenta muita diferença em partidas dentro e fora de casa. Em São Januário, na grande maioria das vezes, toma conta da posse de bola e ocupa bem o campo de ataque, tem proposta pra criar e consegue sempre empilhar chances de gol. Já defensivamente é muito inseguro, tanto na parte individual, quanto na parte coletiva. A expectativa é pela barração de Wellington no meio-campo. Wagner e Bruno Cosendey podem formar o setor com Desábato. Kelvin pode ganhar chance como titular. O volante argentino é o jogador que mais acerta passes no Vasco, 94,5% de precisão, o 12º do campeonato.

Foto 07

Com apenas uma vitória nos últimos dez jogos, Vagner Mancini garantiu que também fará mexidas no Nêgo. Mesmo tendo jogo no Maranhão, contra o Sampaio Corrêa, na próxima quarta-feira, pela Copa do Nordeste, não há possibilidades de poupar atletas. Jefferson deve voltar a lateral. O zagueiro Aderllan lesionado está fora. André Lima pode pintar ao lado de Neilton no ataque e Luan ao lado de Yago na meia. Filipe Soutto também pode recuperar espaço na equipe. Uillian Corrêa é o melhor passador do rubro-negro, 92,3% de efetividade, o 27º no ranking geral do campeonato.

Domingo – 13/05 – Chapecoense x Flamengo – Arena Condá – 16h

Duelo de extremos em Chapecó. O time da casa está em crise. Não vence há um mês e meio e tem o trabalho de seu treinador muito questionado, apesar de ter conseguido um bom empate fora de casa contra o Atlético/MG na Copa do Brasil. Já o Flamengo, mesmo com o empate com a Ponte Preta num Maracanã com mais de 50 mil pessoas pela Copa do Brasil, se classificou. É o líder do Brasileirão e a equipe demonstra evoluções sob o comando de Mauricio Barbieri. A principal disparidade entre as equipes está no acerto das finalizações. O rubro-negro é o terceiro do campeonato neste quesito com 43,6% de efetividade. Já o Verdão do Oeste o último, com apenas 15% de aproveitamento.

Muito criticado pela torcida, Gilson Kleina fechou os treinamentos esta semana e não confirmou a equipe. É provável que saque um volante para que um atacante de velocidade pelo lado direito entre. Canteros também deve retornar ao time e Leandro Pereira fica com a vaga do suspenso Wellington Paulista no ataque. Trata-se de uma equipe sem ideia ofensiva. Vive de lançamentos para que os laterais tenham vitória pessoal ou o centroavante ganhe pelo alto para obter a ”segunda bola” no campo ofensivo. Saída de bola extremamente pobre. Defensivamente funciona bem na maioria dos jogos. A ausência de Wellington Paulista será sentida. Ele é o único da Chapecoense que aparece na lista dos 30 jogadores que mais finalizam no campeonato.

FOTO 08

Mauricio Barbieri está preocupado com a sequência de jogos da sua equipe e resolveu poupar alguns jogadores para esta partida. Lucas Paquetá, Rever, Diego Alves e Éverton Ribeiro nem viajaram. É provável que Vinicius Jr, Henrique Dourado, Rodinei e Cuellar comecem no banco. Quarta-feira tem jogo decisivo contra o Emelec pela Libertadores. Se vencer no Maracanã estará classificado matematicamente com uma rodada de antecedência. O time gosta de ficar com a bola, joga no 4-1-4-1, mas ainda oscila o rendimento propondo o jogo. Ora consegue encaixar boas jogadas com movimentação bem coordenada e ocupação inteligente dos espaços. Ora parece muito estático e distante para associações entre os atletas. Diego volta após lesão. Defensivamente precisa evoluir. É pouco intenso nesta fase. Everton Ribeiro fará falta pela eficiência nas finalizações. Acerta o alvo em 80% dos chutes.

Domingo – 13/05 – Santos x Paraná – Vila Belmiro – 19h

Como jogo isolado da noite de domingo, o Santos recebe o Paraná Clube na Vila Belmiro em busca da reabilitação no Campeonato Brasileiro. Foi ”surrado” pelo Grêmio na última semana, mas goleou a frágil Luverdense também por 5×1 no meio de semana pela Copa do Brasil. Já o Tricolor Paranista persegue a sua primeira vitória na competição. Por muito pouco não veio contra a Chapecoense, o que deu confiança para tentar bater o Santos. São equipes que têm muita precisão no passe longo. O Paraná é o terceiro que mais acerta lançamentos e o Santos o sétimo.

Sem Léo Cittadini, ainda lesionado, Jair Ventura deixou de lado a variação tática entre o 4-4-2 para defender e o 4-3-3 para atacar que o Peixe vinha apresentando. Na última quarta formou no 4-1-4-1 com Jean Motta e Vitor Bueno na faixa central e Alison como primeiro homem de meio. Rodrygo e Eduardo Sasha como pontas, mas fazendo muitos movimentos buscando o centro do campo e deixando os lados para os apoios de Victor Ferraz e Dodô. O Santos segue oscilando quando precisa propor o jogo. Defensivamente, apesar da goleada de semana passada, funciona. Gustavo Henrique deve seguir na zaga com a lesão de David Braz, o experiente zagueiro aliás é o mais preciso da equipe em passes longos, 71,4% de efetividade.

Foto 09

O Paraná Clube chega para a partida com alguns desfalques. Jhonny Lucas com dores na panturrilha não joga e a tendência é que Caio Henrique seja recuado para atuar ao lado de Torito González como volante. Carlos Eduardo, voltando ao time, joga na meia-central. Raphael Alemão segue fora e Léo Itaperuna será mantido na ponta-direita. Na zaga, Cléber Reis não joga por força de contrato e Neris pode estrear ao lado de Jesiel. Mansur, expulso contra a Chape, será substituído pelo zagueiro Rayan, mais uma vez improvisado na lateral-esquerda. Por fim, Richard volta ao gol, mas Wesley Dias é outro volante sem condições de atuar. O time de Curitiba, mesmo com limitações técnicas e vários atletas recém-chegados, não vem jogando tão mal quanto os resultados podem supor. Tem boas ideias ofensivas, mas peca defensivamente. Precisa ter um posicionamento melhor e defender de forma eficaz a sua própria área. Caio Henrique tem ótimo aproveitamento nos passes longos, acerta 73,6% deles.

Segunda – 14/05 – Botafogo x Fluminense – Nilton Santos – 20h

Clássico Vovô na noite de segunda no Engenho de Dentro! Equipes que vem embaladas por classificação para a segunda fase da Copa Sulamericana, mesmo que não tenham vencido. Pelo Brasileirão, o Botafogo vem de derrota fora para o Cruzeiro e o Fluminense de triunfo contra o Vitória em Salvador. Duas equipes que apresentam rendimento acima do esperado para os elencos montados, que gostam de atacar prioritariamente e que sabem ”verticalizar” o jogo. O time das Laranjeiras é o que mais acerta passes em profundidade (58,3%). O de General Severiano é o quarto no ranking (33,3% de efetividade).

O Glorioso vem de um empate com o Audax Italiano em casa, pela Copa Sul-Americana, mas como havia ganho fora se classificou. A torcida chiou, principalmente pelos muitos gols perdidos, sinal que a criatividade continua em alta. Defensivamente, porém, ainda há a evoluir, principalmente na intensidade da abordagem de marcação. Alberto Valentim tem boas notícias. Moisés e Aguirre estão aptos a jogar, mas devem ficar no banco e entrar na segunda etapa para readquirir ritmo. Sem maiores desfalques, com exceção de Gatito Fernandez, o time deve ser o mesmo que vem sendo escalado no 4-1-4-1. O lateral-direito Marcinho acertou todos os passes em profundidade que deu até aqui no Brasileirão.

Foto 10

Depois da batalha em Potosí, onde foi derrotado por 2×0, mas voltou classificado em uma partida disputada a mais de 4 mil metros de altitude, o Fluminense tenta chegar inteiro fisicamente para o clássico. Os titulares dos últimos jogos devem ser mantidos no sistema com três zagueiros. O Tricolor tem muita intensidade pra marcar e um posicionamento bem correto em sua linha defensiva., No ataque, é mais direto, acelera a maioria das jogadas e sabe utilizar o pivô de Pedro, bem como as investidas de Ayrton Lucas e Gilberto pelos lados. Cada vez mais Pedro vai mostrando que pode ser útil também na construção, não só nas finalizações, acerta metade dos passes que dá em profundidade, o melhor do Flu neste quesito.

Segunda – 14/05 – Ceará x América/MG – Castelão – 20h

Dois times que voltaram este ano à elite do futebol brasileiro se enfrentam em Fortaleza. O Vozão recebe o Coelho no encerramento da 5ª rodada e ainda busca a sua primeira vitória na competição. O América vem de duas derrotas, uma pela Copa do Brasil e outra pela Série A, mas em desempenho vem mostrando mais que os donos da casa. As duas equipes precisam pontuar. O América é o time que menos fica com a bola no Brasileirão, mas em compensação é o quarto em precisão nas finalizações. Já o Ceará é o décimo em posse de bola, mas o que menos finaliza e o quinto que menos acerta. Tem que melhorar bastante a produção ofensiva.

O Alvinegro de Porangabaçu jogou na última quinta pelas quartas de final da Copa do Nordeste e voltou de Alagoas com um empate em 3×3 com o CRB. Em outro empate, este contra o Corinthians, no último domingo, o time teve a sua melhor atuação no Campeonato Brasileiro até o momento. Foi mais organizado e intenso em todas fases, e é justamente isso que o técnico Marcelo Chamusca quer ver se repetir, desta vez diante da torcida. Provavelmente a mesma equipe deve ser escalada. 4-2-3-1 com Elton na referência e Ricardinho na meia-central. A principal dificuldade do Ceará em casa têm sido criar e ter volume ofensivo. É o time que menos toca na bola na área adversária, apenas cinco vezes por jogo.

Foto 11

Já o Coelho vem de um jogo muito intenso contra o Palmeiras pela Copa do Brasil, quando jogou de igual para igual, mas acabou derrotado pela superioridade técnica do rival. Apesar da goleada sofrida para o Vasco semana passada, quando fez um péssimo segundo tempo, há confiança em um bom resultado no Nordeste. Certamente adotará a postura reativa e jogará em rápidas transições. Aylon pode ser escalado como centroavante. Tem jogado bem e possui mais velocidade do que Rafael Moura na puxada de contra-ataque. Rafael Lima está vetado com uma lesão e Matheus Ferraz ganha chance ao lado de Messias. Coletivamente o Coelho está mais pronto que o Vozão. Suas jogadas pelos lados são muito eficazes. É o segundo time que mais acerta cruzamentos.

Deixe uma resposta