LAUTARO MARTÍNEZ: UM “TORO” A CAMINHO DO TOPO

Por @RodrigoCout

Imagine um jogador de 20 anos de idade em seu terceiro ano como profissional, vestindo a camisa 10 de um gigante de seu país e estreando na Libertadores da América contra um bicampeão continental. Seria coerente acreditar que este atleta faria três gols, comandaria a vitória de sua equipe, e ainda sairia de campo insatisfeito? A história parece ilusória, mas graças à repercussão do que Lautaro Martinez fez no último dia 27 de fevereiro contra o Cruzeiro, no triunfo de 4×2 do Racing, não seremos taxados de mentirosos.

Lautaro faz 88% de seus gols dentro da área. Em 69% das vezes precisa de apenas um toque na bola para marcar. E 38% dos tentos são anotados em ataques posicionais.

Lautaro faz 88% de seus gols dentro da área. Em 69% das vezes precisa de apenas um toque na bola para marcar. E 38% dos tentos são anotados em ataques posicionais.

O “muito prazer” dado pelo atacante argentino a quem ainda não conhecia o seu futebol chamou a atenção de muita gente ao redor do Mundo e, principalmente, aqui no Brasil. Por isso, o Footure traz um raio-x do mais novo candidato ao comando de ataque da Argentina. Afinal de contas, já havíamos alertado através do invader Bolívar Silveira, em nossa live pré-Libertadores no YouTube, o que “El Toro” poderia aprontar. Tudo debaixo dos olhos de Jorge Sampaoli.

Trajetória

Nascido no dia 22 de agosto de 1997 na cidade de Bahía Blanca, que fica a pouco mais de 600 km de Buenos Aires, é o segundo filho de uma família de três irmãos. Chegou em La Academia aos 16 anos de idade, prestes a completar 17, para atuar na categoria juvenil. Antes havia se destacado na seleção de sua cidade e chamou a atenção do clube de Avellaneda. O início na província federal, a exemplo do que acontece com vários jogadores, não foi nada fácil. A distância da família e uma doença contraída pelo seu irmão mais velho assim que chegou ao Racing foram os primeiros obstáculos. Aos poucos foi se destacando, adaptando-se, e virou uma das principais promessas da tradicional base do clube.

Um fato curioso da curta carreira de Lautaro é a predileção pelo basquete, esporte muito popular na Argentina. Seu irmão mais novo inclusive, é um dos destaques nas divisões de base do basquete hermano, e o atacante já declarou algumas vezes que prefere ver um jogo do esporte da bola laranja a um de futebol. A inspiração para as finalizações certeiras certamente vem de lá e o projeto de craque, exatamente por essa característica, já esteve muito próximo de fechar com gigantes europeus. Já recusou propostas da dupla de Madri por considerar que ainda não estava pronto para uma mudança. Especula-se que a Inter de Milão fará uma investida na casa dos 40 milhões de dólares para levá-lo na próxima janela de transferências. Se o negócio se concretizar será a negociação mais cara do futebol argentino.

O show dado diante do Cruzeiro foi o primeiro em competições internacionais pelo Racing. Já havia jogado a Copa Sul-americana no ano passado, mas teve suas possibilidades abreviadas ao fraturar o quinto metatarso do pé esquerdo na segunda fase da competição contra o Independiente Medellín. Ficou cerca de quatro meses fora e voltou tomando conta do ataque da Academia.

Em âmbito nacional já havia se destacado contra River Plate e Boca Juniors nas canchas rivais, sendo escolhido o melhor em campo nestas partidas. Feitos muito relevantes para quem estreou há pouco tempo nos profissionais, mais precisamente no dia 31 de outubro de 2015, com apenas 18 anos, contra o Crucero del Norte, substituindo o ídolo de seu clube, Diego Milito, aos 35′ do 2° tempo em jogo válido pela Superliga. Em dezembro de 2016 tornou-se titular do Racing sob o comando do técnico Ricardo Zielinski. Manteve esse status com Diego Cocca, treinador que havia lhe puxado da base, e hoje vê seu jogo amadurecer ainda mais no time comandado por Eduardo Coudet.

imagem 2

Pela seleção argentina sub-20 foi destaque no Sul-Americano da categoria em 2017, marcando cinco gols em nove jogos, inclusive os últimos três da campanha que classificou a albiceleste para o Mundial. Já na Copa do Mundo foi inexplicavelmente reserva na estreia contra a Inglaterra, saiu do banco na segunda etapa, mas ficou apenas 17 minutos em campo, foi expulso. Fora da segunda partida, voltou no último jogo da catastrófica participação da equipe no Mundial, a vitória de 5×0 contra Guiné, quando marcou dois gols.

Potencial Técnico

Sempre visto com bons olhos, Lautaro Martinez parece muito próximo de sua melhor versão dentro do nível do futebol jogado na América do Sul. A partida contra o Cruzeiro entra no hall de outras atuações recentes: Lanús, Huracan, Gimnasia, Newells e Boca Juniors foram os principais alvos do atacante na atual temporada. Vale lembrar que só conseguiu retornar da lesão no final de outubro do ano passado.

Sua característica de jogo une valências raras e importantíssimas no atual contexto do futebol. A principal delas é a finalização. É seguidamente comparado a Gabriel Batistuta pela capacidade de chutar muito bem com as duas pernas e também pelo cabeceio. Não é um atleta alto, pelo contrário, seu 1,74m torna ainda mais impressionante a facilidade que apresenta nas jogadas aéreas.

Da última temporada pra cá Lautaro praticamente dobrou a sua média de gols. Triplicou o número de assistências. E só diminuiu o número de pré-assistências, o último passe, porque passou a jogar mais enfiado na área. Participando menos da base de criação das jogadas e mais do momento de definição.

Da última temporada pra cá Lautaro praticamente dobrou a sua média de gols. Triplicou o número de assistências. E só diminuiu o número de pré-assistências, o último passe, porque passou a jogar mais enfiado na área. Participando menos da base de criação das jogadas e mais do momento de definição.

Nos mapas de calor das duas temporadas fica muito claro o atual posicionamento mais dentro da área.

Nos mapas de calor das duas temporadas fica muito claro o atual posicionamento mais dentro da área.

Prosseguindo a evolução: Finaliza mais; Melhor; E dá mais passes. Só reduziu um pouco o percentual de acerto de passes. Algo natural por agora atuar em uma faixa do campo em que há menos espaços.

Prosseguindo a evolução: Finaliza mais; Melhor; E dá mais passes. Só reduziu um pouco o percentual de acerto de passes. Algo natural por agora atuar em uma faixa do campo em que há menos espaços.

Crescimento também no percentual de acerto nos cruzamentos. No acerto de passes para o terço final. Na efetividade dos dribles e na vitória em duelos ofensivos.

Crescimento também no percentual de acerto nos cruzamentos. No acerto de passes para o terço final. Na efetividade dos dribles e na vitória em duelos ofensivos.

Como atua numa faixa de campo com menos espaço, Lautaro dribla menos hoje. E como atua mais na profundidade fica mais vezes em impedimento. Naturalmente viu crescer o número de toques na bola dentro da área e a média de passes recebidos por jogo.

Como atua numa faixa de campo com menos espaço, Lautaro dribla menos hoje. E como atua mais na profundidade fica mais vezes em impedimento. Naturalmente viu crescer o número de toques na bola dentro da área e a média de passes recebidos por jogo.

Seus 79kg muito bem distribuídos contribuem para a sua segunda característica mais importante: a força física. ‘El Toro’ não tem pudor em trombar com os zagueiros e costuma levar vantagem, pois possui um controle de bola bem acima da média para os jogadores da sua idade. É muito difícil roubar a bola de seus pés. Para completar, não se priva de achar espaços driblando. Não se trata de um atacante notadamente habilidoso, mas utiliza sua explosão e controle de bola em dribles curtos letais.

Vem melhorando na leitura de algumas jogadas. Por vezes se afobava e tomava decisões erradas, algo natural para a idade. Ofensivamente se aprimorou nesse aspecto, mas defensivamente ainda comete mais faltas que o aceitável e consequentemente leva cartões evitáveis.

Parte Tática

Lautaro Martinez é um homem de área. No início da carreira chegou a jogar flutuando mais pela intermediária, mas nesta temporada passou a atuar mais preso ao terço final. Não se trata porém de um “9” típico. Como já citado, possui muita mobilidade, mas precisa estar onde é mais decisivo! Saí para os lados, mas somente nos momentos de definição das jogadas, para finalizar ou dar o último passe. Pode jogar em dupla – como vem jogando com Lisandro Lopez – à frente de um 4-1-3-2. Ou como atacante central único – já atuou em 4-2-3-1 também.

imagem 8 imagem 9

Obviamente há uma diferença de nível técnico entre as competições que todos esses jogadores atuam e a Superliga Argentina. Mas não dá para deixar de registrar o quanto possui números superiores aos principais atacantes do Mundo em sua faixa etária

Obviamente há uma diferença de nível técnico entre as competições que todos esses jogadores atuam e a Superliga Argentina. Mas não dá para deixar de registrar o quanto possui números superiores aos principais atacantes do Mundo em sua faixa etária

imagem 11

Conclusão

Lautaro Martinez é o principal atacante jovem do continente sul-americano! Tem potencial para ser atacante titular da seleção argentina e peça importante de um grande clube europeu num futuro próximo. Obviamente não está amadurecido para ser destaque absoluto no nível mais alto do futebol mundial, mas pode alcançar esse status se seguir essa toada. Até a oscilação, natural para um garoto de 20 anos, tem como ponto de corte um nível bem mais alto que o natural e o ápice… Bom, o ápice vimos diante do Cruzeiro!

 

Deixe uma resposta